“O Ser real é constituído de corpo, mente e espírito. Dessa forma, uma abordagem psicológica para ser verdadeiramente eficaz deve ter uma visão holística do ser, tratando de seu corpo (físico e periespirítico), de sua mente (consciente, inconsciente e subconsciente) e de seu espírito imortal que traz consigo uma bagagem de experiências anteriores à presente existência e está caminhando para a perfeição Divina.” Joanna de Ângelis

Transtornos Mentais e Obsessão


Leopoldo Balduino, no livro “Psiquiatria e Mediunismo”, fala a respeito das manifestações psicopatológicas que, segundo pensamos, podem ser causadas ou intensificadas pela patologia da obsessão.

(p.65) O autor espiritual André Luiz confirma essa continuidade de corpo-mente em níveis bioquímicos ao afirmar que “nos traumas cerebrais da cólera, do colapso nervoso, da epilepsia e da esquizofrenia, como tantas outras condições anômalas da personalidade, vamos encontrar essas mesmas fermentações no campo das células, mas em caráter de energias degeneradas, que correspondem às turvações mentais que as provocam”.

Aqui poderia estar a causa primária de grande número de alterações psíquicas, inclusive das obscuras psicoses endógenas, até hoje impenetráveis à análise fenomenológica.

(p.70) A Posição Espírita vai além, ao advogar também a existência de elementos inconscientes localizados no corpo espiritual, com todo o repositório das experiências e vivências das encarnações pretéritas, além, é claro, das vividas no plano espiritual. De acordo com ela, as forças dinâmicas oriundas do inconsciente espiritual tanto podem ser de natureza positiva, saudável, tais como tendências, idéias ou habilidades inatas, como de natureza morbígena. Os gênios precoces, como Wolfgang A. Mozart, seriam um exemplo de vidas pregressas altamente evoluídas. Crianças portadoras de distúrbios, tais como autismo infantil , psicoses infantis, etc., podem representar o segundo grupo.

(p.88) Como, de acordo com a Posição Espírita, tais quadros ideativos delirante-alucinatórios podem ser encontrados também em personalidades espirituais, desprovidas de corpo físico, deduz-se que alguns quadros de natureza psicopatogênica têm o seu lócus no cérebro perispiritual. Provavelmente esse seria o caso das graves psicoses endógenas, as quais não demonstraram seus segredos às pesquisas anatomopatológicas, como já foi explicitado.

Alguns fenomenologistas interpretam esse transtorno no ato de integração significativa como secundário a um grave transtorno do eu. (...) Contudo, de acordo com Jung, o ego não seria mais que um complexo psicológico que, através do processo de individuação, pode ser dispensado, transferindo o foco da consciência para níveis mais interiores. (...) Contudo também é possível a existência de subpersonalidades inconscientes, fruto do processo de dissociação da consciência, ou ainda resquícios de vidas passadas.

(p.89) Assim, quando se diz que o significado de um delírio primário é não só estranho como impenetrável, deve-se tomar essa afirmativa como relativa à história pregressa da atual existência. Essa impenetrabilidade pode ser desfeita ao se considerar a possibilidade de eventos desencadeantes oriundos do plano espiritual ou do inconsciente espiritual, onde ficam armazenadas, segundo a Posição Espírita, todas as experiências da série insondável das anteriores encarnações. Além do mais, existe o estranho fenômeno das personalidades intrusas, ocasionando as denominadas obsessões espirituais.

Imagem: Jesus curando as obsessões


Nenhum comentário:

Postar um comentário