“O Ser real é constituído de corpo, mente e espírito. Dessa forma, uma abordagem psicológica para ser verdadeiramente eficaz deve ter uma visão holística do ser, tratando de seu corpo (físico e periespirítico), de sua mente (consciente, inconsciente e subconsciente) e de seu espírito imortal que traz consigo uma bagagem de experiências anteriores à presente existência e está caminhando para a perfeição Divina.” Joanna de Ângelis

FOBIAS


Texto de Joanna de Angelis (do livro "Triunfo Pessoal", psicografado por Divaldo Franco):

As fobias estão associadas espiritualmente a condutas incorretas anteriormente vivenciadas, quando se permitiram os indivíduos abusos e crueldades, ou sofreram sepultamento em vida, considerados mortos e estando apenas em estado cataléptico, despertando depois e vindo a falecer em situação deplorável, desenvolvendo a claustrofobia, ou foram vítimas de crueldades em praças e ambientes abertos, diante da massa alucinada, desencadeando agorafobia e fobia social, etc.

Noutros aspectos, ocorrências traumáticas não superadas, transferiram os estímulos geradores de sofrimentos que ora se converteram em fobias específicas.

Ao lado de diversas psicoterapias valiosas capazes de reverter o quadro fóbico, não há como negar-se a valiosa psicanálise, bem como a terapia regressiva a existências passadas, de acordo com cada distúrbio, de modo a encontrar-se o estímulo traumático e trabalhá-lo cuidadosamente, assim interompendo-lhe a força associativa.

Não obstante os resultados positivos que possam resultar, é conveniente não se esquecer da renovação moral do paciente, da sua mudança mental de atitude para com a vida, ao mesmo tempo laborando em favor do grupo social, portanto, de si mesmo, com vistas ao seu futuro saudável e feliz.

29 comentários:

  1. Boa tarde!! Sou uma pessoa que sofre de fobia. Faço análise, porém sinto que realmente é complicado sair dessa situação. A circunstância que causa fobia tentamos (nós, fóbicos) evitá-la a todo custo porque sentimos dor, derrota, etc. Penso que deve levar muitos anos para nos recuperarmos. Será que está correto esse meu sentimento?? Ah, e parabéns pelas postagens pois pode esclarecer muita gente, incentivando inclusive a mudança. Show!! Srª Dri.

    ResponderExcluir
  2. Obrigada por ler e participar deste blog. O tempo é relativo. Podemos levar um tempo longo ou curto. O mais importante é compreendermos a verdadeira causa daquilo que sentimos. Por exemplo, se fizemos mau uso da palavra e por esta razão hoje nos encontramos com dificuldade de falar em público, é pelo uso da mesma na direção da caridade e do amor ao próximo e a si mesmo que curaremos este tipo de fobia: usando a palavra com amor, orientando os companheiros de estrada... Devemos olhar para nosso “sintoma” com carinho, compreendendo sua razão de ser e trabalhando para que o mesmo perca a necessidade de existir – e não menosprezando-o e tentando combatê-lo. E importante: é fato que as causas não se encontram somente na presente existência: se o convívio familiar e social contribuiu para que desenvolvêssemos determinada dificuldade, devemos buscar o entendimento da razão de estarmos inseridos neste contexto. O que em nós precisou ser “trabalhado” desta forma.

    Seguimos à disposição para conversar e aprofundar o tema.

    Votos de Paz!

    ResponderExcluir
  3. Olá! Sim, minha fobia é falar em público. Cuidar do sintoma significa dizer que tudo que se fala deve-se estar atento, inclusive no dia-a-dia, em coisas mínimas, conversas triviais? Policiar o tempo todo a fala?
    Já pensei muitas vezes em frequentar uma casa espírita para trabalhar e estudar. Acreditas que isso possa me ajudar? Ajudar os irmãos de jornada com a palavra é mais fácil dentro de uma casa espírita, creio eu. O fato é que busco sim a cura, pois já atrapalhou demais minha vida.

    Obrigada! Deus abençoe a todos nós!
    Srª Dri.

    ResponderExcluir
  4. Boa tarde! De certa forma sim, mas no sentido de nos observamos, conhecermos a nós mesmos; perdoando-nos por nossas falhas, mas esforçando-nos para nos melhorarmos a cada passo.

    O “sintoma” não é um castigo divino e nem um delito nosso, é apenas uma consequência de causas passadas. Se hoje nos é difícil falar, é porque inconscientemente nos protegemos, fugimos do risco de repetirmos episódios menos felizes do passado. Mas só erra aquele que tenta, e aquele que não tenta não erra mas também não acerta.

    Use a sua fala a serviço do bem, e não estarás falando sozinha. Estarás falando por todos aqueles que necessitam de uma palavra de luz e de esclarecimento para, munidos de esperança, direcionarem suas vidas. Lembre que tudo que temos são ferramentas que podem beneficiar a todos – sejam elas a voz, as mãos, as condições materiais, as condições morais... Mas devemos procurar evitar fazer uso destas mesmas ferramentas no sentido de julgar, ofender ou prejudicar a nós ou aos outros.

    Sem dúvida uma casa espírita (ou qualquer outro meio de buscarmos nossa ligação com Deus) pode ajudar, e muito. Mas não importa onde estejamos, sempre podemos nos instruir e servir, elevando-nos à altura daqueles que nos amam e nos guiam. Muita paz!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. por favor tem como conversar comigo sobre fobia social ?

      Excluir
  5. Olá! Muito grata pelas lições. Agora ja tenho uma direção a tomar, e muito trabalho e estudo a fazer.

    Deus abençoe a todos!!
    Sª Dri.

    ResponderExcluir
  6. Olá! Eu tenho fobia para determinadas coisas, como engolir comprimidos, conhecer pessoas novas, mas principalmente na parte amorosa. Tenho desde muito pequena, e durante a sessão de terapia, quando me é perguntado a partir de que momento tive isso, eu não sei responder, parece que nasci mesmo com esse medo insuportável de enfrentar essas situações. E também não sei responder a que exatamente temo, o que acho que acontecerá comigo, eu não sei explicar, simplesmente começo a passar muito mal quando tenho de enfrentar essas situações. por isso, a terapia não me ajudou muito, pois acredito que tenho de encontrar a raiz do problema. Será que a regressão ajudaria?

    Desde já, muito obrigada.

    ResponderExcluir
  7. Prezada, regressão pode ajudar sim, especialmente se feita com profissional competente e idôneo. Suporte medicamentoso também é recomendado e pode te beneficiar muito a experienciar estas situações sentindo-se mais calma e confiante.

    Muita paz!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Fabrício Oscar da Silva4 de outubro de 2017 13:49

      Boa tarde! tenho o mesmo problema que o seu, é muito triste!

      Excluir
  8. Olá! Eu acho que tenho fobia social e também fobia de ruídos altos, como estouros de fogos entre outros barulhos, se não for fobia , é um incômodo acima do normal,do suportável. A fobia social venho tendo uma certa melhora, mas bem aos poucos e com dificuldade. Se eu procurar tratamento espiritual ajuda em alguma coisa?

    ótimo Blog!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Danilo, você não é o único, pois também tenho fobia de sons altos como: televisão, aparelho de som etc. Parece que quando muito alto vai estourar, explodir sei lá. Acredito em vidas passadas algo como uma guerra. Não fiz regressão ainda, mas vou pesquisar mais.

      Excluir
  9. Então procurarei um profissional que trabalhe com regressão, mas tenho medo dos farsantes.

    Muita paz para todos nós.

    :D

    Muito obrigada pelos conselhos.

    ResponderExcluir
  10. Tenho fobia de cães da raça Rotweiller,somente deles, de outras raças não.
    parec que estou vendo o demônio, começo a chorar e uma tristeza imensa me invade...fica difícil de sair da situação, tenho que fazer uma força bem grande.É realmente bem ruim...

    ResponderExcluir
  11. Tenho emetofobia (medo de vomitar), portanto, prezo rígidas alimentação e higiene. Caso contrário, uma crise acontece. Também, para evitar isto tento controlar os pensamentos atormentadores, e confesso que é difícil, porém dificuldade maior sofri quando recém essa fobia se manifestou. Sendo que o melhor meio de me sentir segura quando me alimento, é realizar a prece em agradecimento a Deus pela refeição, pela qual me fortalece.

    ResponderExcluir
  12. Também tenho fobia de vômito! Já pedi pra morrer por conta disso, não consigo mais viver assim! Estou precisando de ajuda, sozinha não consigo! Comecei terapia cognitiva mas não o tive resultado ainda, estou em desespero, não consigo sair de casa sem me sentir mal! Não consigo comer direito, trabalhar, estudar, me relacionar com as pessoas de forma normal, nem dirigir!

    Nesse caso seria melhor a regressão? Existe algum outro método que possa me ajudar? Estou desesperada, por favor me ajudem!

    ResponderExcluir
  13. Sim, neste caso a medicação pode ser muito útil (quando a fobia atrapalha nossa vida normal, interferindo o tempo todo). Procure um psiquiatra de sua confiança.

    A espiritualidade sempre ajuda - e muito - não só porque nos dá mais confiança, mas também facilita o intercâmbio com a espiritualidade maior.

    Vale lembrar que o tratamento espiritual não substitui o médico e psicológico. Deve ser utilizado junto.

    Quanto às fobias de barulho e cães, muitas vezes estão relacionadas com memórias inconscientes (guerras, traumas...). Uma auto-terapia útil é enviar mensagens tranquilizadoras ao subconsciente, valorizando a nossa essência espiritual mais do que a transitoriedade da matéria, visualizando-nos confiantes e serenos.

    Muita calma, pois as mudanças ocorrem de forma lenta, mas eficaz.

    Paz e fé!

    ResponderExcluir
  14. Um amigo tem fobia d endoscopia. Como posso ajudá-lo. parabéns pelo blog.

    ResponderExcluir
  15. Gente preciso de ajuda!

    Eu possuo muitas fobias. Uma delas é a tocofobia, agora que já possuo 30 anos desejo muito ter um bebê, mas não posso sentir nehuma mulher me falando sobre gravidez, ou grávida ou falando dos aspectos técnicos do parto. Se escuto algum desses temas já começo a ter um incomodo muito grande dentro do meu estomago,sinto algo como se estivesse morrendo e depois desmaio. muitas vezes para quem já assistiu entro até em hiper ventilação e perco a respiração e os sentidos por alguns minutos. Em algumas dessas vezes já fiquei cega momentaneamente, ou já fiquei paralitica momentaneamente. A última vez aconteceu em um restaurante onde todos nós fomos ver uma amiga 2 dias antes dela parir, vi lágrimas no rosto dela e muito medo. O meu jantar se transformou em pesadelo eu perdi a fome, me afastei da mesa p/ não assustar a grávida e comecei a passar mal já da mesa mas disfarcei só deu tempo de chegar ao meio do restaurante, uma sensação horrível tomou conta de mim e eu desmaiei nos braços do meu marido no meio do restaurante. Passo muita vergonha, mas o mais importante quero ter um filho, mas cada dia que passa o medo é maior e me sinto muito incapaz de conseguir.

    Me ajudem por favor.
    Acho que sou médio pois já escutei vozes e já vi, já tive muitos sinais de tudo isso. Sei que um ou dois filhos estão certos p/ mim, porém não sei como conseguirei trazer ao mundo essas vidas.

    Obrigada!!!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. querida...procure a hipnose....Só assim para melhorar os seus sintomas...Tive filhos,de parto normal e não é tão horrível assim,mas em qualquer caso vc pode adotar...

      Excluir
  16. Quando criança,sempre apresentei uma certa aversão ao vômito; e o pior é que minha mãe parecia me culpar por está doente, demonstrando irritação por ter que me cuidar. Mas somente na adolescência essa fobia se manifestou, após eu ter ouvido a história de um exorcismo de uma mulher que vomitou no momento desse ritual. De fato, não foi a história que me perturbou, mas a forma como foi contada. No dia seguinte, no café da manhã, eu senti os primeiros sintomas da fobia, não tendo a noção ainda do que se tratava, apenas tomada pelo sentimento de medo e repulsa, foi a primeira vez que vomitei por causas psicológicas. Depois deste episódio, houve muitas vezes em que senti enjoos no café da manhã, antes de ir à escola. Apenas consegui me tranquilizar, após ter feito pesquisas sobre o "medo de vomitar", vindo a descobrir então, a EMETOFOBIA. Era um sacrifício fazer uma refeição no dia, mesmo que na minha própria casa. Até que percebi o quanto exagerava o medo de vomitar, conseguindo me controlar emocionalmente, rogando a Deus a súplica de confiar no que estou ingerindo. Então comecei a valorizar e selecionar muito o alimento. E agradeço a Ele por ter a oportunidade de levar a fobia como uma forma de evoluir.

    ResponderExcluir
  17. No que se refere a emetofobia, acredito que eu tive bulimia em vidas passadas, pois ainda apresento o sentimento de não querer engordar. Ou então, devo ter desencarnado com alguma doença hepática ou estomacal por causa do alcoolismo, pois detesto álcool desde que nasci.

    ResponderExcluir
  18. Olá, fui diagnosticada com fobia social.Desde muito pequena sempre tive medo de sair sozinha,falar em público, assinar meu nome com alguém olhando,me da muita tremedeira e isso me deixa muito mal e com mais vergonha ainda.Meu coração dispara e parece que vou desmaiar. Isso pode ser reflexo de uma vida passada?Obrigada e que Deus nos abençoe!!

    ResponderExcluir
  19. Eu tinha um medo terrivel de ficar preso no elevador então um dia eu fiquei preso pela primeira vez fiquei deseperando que arrombei a porta do elevador quendo olhei ele estava entre um andar e outro e me arrisquei saltando pela pequena saida que ficou mas fui chamado a atenção pelo perigo que eu corrí pois o elevador poderia ter descido e me partido pelo meio então parei pra refletir se eu tivesse ficado dentro do elevador e esperado ajuda eu teria corrido menos risco depois desse dia fiquei preso mais duas vezes sempre esperando o socorro do tecnico
    e sinto que aos poucos estou perdendo o medo de ficar preso no elevador e como eu sou um quase espirita eu pensei nessa possibilidade de ter sido enterrado vivo em outras existencias e agora vejo que eu pude ter passado realmente por essa terrivel experiencia no passado,obrigado pelas informações.

    ResponderExcluir
  20. eu tenho muito medo de altura...Tenho medo de quando estiver em um lugar alto,me atirar...Sofro horrores...O que vc acha Michele???Tb tenho medo de matar seres indefesos tipo crianças ou animais,mas quero dizer que muito antes pelo contrário,sou extremamernte paciente e nunca fiz mal a ninguém,pq amo os animais...Na verdade,este último medo,está passando,mas fobia de altura,ainfda tenho...

    ResponderExcluir
  21. Boa Tarde, sofro de fobia a gato desde sempre...Desconheço a causa, ou melhor, não lembro de nenhuma causa concreta nessa vida que me faça saber pq dessa terrível e sofrida doença que me persegue. É horrível! Quando vejo, ouço e pior, não consigo nem pensar se um desses encostar em mim. O que faço? Como me curar disso? Como me libertar disso? Hoje tenho 62 anos e por não ser mais uma criança penso que cada vez mais fica complicado me libertar/curar. Me ajudem! Existe alguma assistência para esses casos? Grata!

    ResponderExcluir
  22. Olá, tenho indícios do que chamam de fonofobia, pois ao ver uma TV ligada com som alto tenho a sensação que ela irá explodir, pessoas quando falam muito alto também faz meu coração palpitar. Carros passando na minha frente em ruas esburacadas também me despertam pânico. Tento enfrentar tudo isso, mesmo sendo difícil.

    ResponderExcluir
  23. Muito interessante esse texto sobre fobias, eu tenho fobia de hospital sem nunca ter ficado internada, entao acredito que isso seja de alguma experiencia ruim de outra vida. Estou gravida e meu bebe nasce daqui a 2meses, pra mim vai ser um desafio enorme enfrentar o hospital estou fazendo meditaçao pra trabalhar a mente, mas futuramente quero fazer psicoterapia pra curar a fobia.

    ResponderExcluir
  24. Tenho triplofobia, a fobia de ver vários buraquinhos em algo, seja por foto, vídeo ou pessoalmente, como o aspecto de um morango e até alguns desenhos de calçadas de ruas. Alguém pode me ajudar tentando explicar que situação de uma vida passada me causaria isso e o que faço para me curar? Obrigada a qualquer um que puder responder.

    ResponderExcluir
  25. Tenho triplofobia, o medo de ver vários buraquinhos, como o aspecto de um morango, e até alguns desenhos de calçadas de ruas, seja por foto, vídeo ou pessoalmente. Alguém sabe que situação de uma vida passada explicaria essa fobia? E como faço para não sofrer tanto com isso? Algumas vezes chego a desmaiar e passar dias passando mal. Obrigada a qualquer um que puder me responder.

    ResponderExcluir